Interpretação do poema O lutador (Drummond) Metalinguagem em poema modernista

O poeta lutador 

A fase da poesia de Carlos Drummond que se inicia com o livro Claro enigma, de 1945, desenvolve não só temas filosóficos, mas também revela constante reflexão sobre a construção da linguagem poética. 

Leia, a seguir, um poema bastante representativo dessa preocupação metalinguística.

O lutador 

Lutar com palavras 
é a luta mais vã. 
Entanto lutamos
mal rompe a manhã. 
São muitas, eu pouco. 
Algumas, tão fortes 
como o javali. 
Não me julgo louco. 
Se o fosse, teria 
poder de encantá-las. 
Mas lúcido e frio, 
apareço e tento 
apanhar algumas 
para meu sustento 
num dia de vida. 
Deixam-se enlaçar, 
tontas à carícia 
e súbito fogem 
e não há ameaça 
e nem há sevícia 
que as traga de novo 
ao centro da praça.

[...] Lutar com palavras 
parece sem fruto. 
Não têm carne e sangue... 
Entretanto, luto. 

Palavra, palavra 
(digo exasperado), 
se me desafias, 
aceito o combate. [...] 

O ciclo do dia 
ora se conclui 
e o inútil duelo 
jamais se resolve. 
O teu rosto belo, 
ó palavra, esplende 
na curva da noite 
que toda me envolve. 
Tamanha paixão 
e nenhum pecúlio. 
Cerradas as portas, 
a luta prossegue 
nas ruas do sono. 

Carlos Drummond de Andrade. In Claro enigma. © Graña Drummond <www.carlosdrummond.com.br> Rio de Janeiro: Record. Carlos Drummond de Andrade em 1977. 

vã: inútil 
sevícia: maus- tratos 
pecúlio: beneficio 

1. Nos cinco primeiros versos, apresenta-se o combate a que o poeta se entrega para expressar-se. 
a) Qual é o combate a que o poeta se entrega? 
b) O que o poeta sente em relação ao seu "adversário"? Justifique sua resposta com verso(s) do poema. 

2. Releia os versos a seguir. 

"Deixam-se enlaçar, 
tontas à carícia 
e súbito fogem 
e não há ameaça 
e nem há sevícia 
que as traga de novo 
ao centro da praça." 

a) Por que se pode afirmar que, de acordo com esses versos, as palavras revelam um caráter enganador? 

b) Sob o ponto de vista do eu lírico, o caráter enganador das palavras revela: 
⦁ impossibilidade de comunicação. 
⦁ dificuldade de encontrar a expressão pretendida. 
⦁ fracasso na escolha temática dos poemas. 
⦁ o gosto pela busca da forma poética perfeita. 

3. É correto afirmar que a luta do eu lírico, ainda que lhe pareça inútil, prossegue incessantemente? Por quê? 

4. Por que o eu lírico, mesmo tendo consciência de que a sua luta é vã, não desiste do combate? 

Gabarito

1.
a) O poeta luta com as palavras. 
b) Em relação à sua luta com as palavras, o poeta sente-se frágil, em desvantagem, ideia expressa pelo verso "[as palavras] São muitas, eu pouco". 

2.
a) O caráter das palavras é enganador, pois parecem ceder às necessidades do poeta, mas são esquivas e fogem. 
b) dificuldade de encontrar a expressão pretendida. 

3. Os versos "a luta prossegue / nas ruas do sono" Indicam que a busca do poeta pela expressão não cessa nem mesmo à noite, durante o sono. 

4. O trabalho de expressão é inevitável para o poeta, que não tem outra escolha a não ser a busca pelas palavras que lhe pareçam adequadas. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...