Exercícios sobre sujeito para 8ºano


Leia o texto a seguir para responder às questões: 

O cão e o osso mostram como se contentar com o que se tem 

Era uma vez um cão muito satisfeito porque carregava um osso. Passando por uma ponte, olhou para baixo e viu sua própria imagem refletida na água. Pensando que sua imagem fosse outro cão com um osso na boca, começou a latir. Mal abriu a boca... e o osso caiu na água. O cão, por desejar o osso do outro, acabou ficando sem nada. 

Fábula de Esopo. Texto em domínio público.

1. Qual é o sujeito da oração que compõe o título do texto? 

2. Esse sujeito é simples ou composto? Por quê? 

3. Explique com suas palavras o último período do texto e, em seguida, classifique o sujeito como simples ou composto. 

4. Retire do texto um período em que o núcleo do sujeito não aparece. 

Observe este período e responda às questões:

Felipe, o mais baixinho da turma, ganhou o primeiro lugar nos jogos olímpicos da escola, por isso fizeram uma festa para ele.

5. Quantas orações há nesse período?

6. Classifique e identifique o núcleo do sujeito da primeira oração.

7. É possível identificar o sujeito da segunda oração?

8. Leia o trecho da crônica abaixo: 

O pavão 

Eu considerei a glória de um pavão ostentando o esplendor de suas cores; é um luxo imperial. Mas andei lendo livros, e descobri que aquelas cores todas não existem na pena do pavão. Não há pigmentos. O que há são minúsculas bolhas d'água em que a luz se fragmenta, como em um prisma. O pavão é um arco-íris de plumas. 
Eu considerei que este é o luxo do grande artista, atingir o máximo de matizes com o mínimo de elementos. De água e luz ele faz seu esplendor; seu grande mistério é a simplicidade. [...] 

BRAGA, Rubem. O Pavão. In: Ai de ti, Copacabana. Rio de janeiro: Record, 2004. p. 139. 

a) O autor fala sobre a beleza do pavão. Por que ele admira essa ave? 

b) Após ler sobre o pavão, o que ele descobriu? 

c) Ele comparou a beleza do pavão a obras belas de detalhes mínimos de um grande artista. Segundo o autor, qual é o segredo da beleza tanto dessas artes quanto do pavão? 

9. Observe as orações a seguir. Em seguida, encontre e classifique os sujeitos de cada uma das três orações. 

"O pavão é um arco-íris de plumas." 
"Mas andei lendo livros [...]" 
"Não há pigmentos." 

10. "[...] descobri que aquelas cores todas não existem na pena do pavão." 

a) Quantas orações há nesse período? 

b) Qual é o sujeito da oração do verbo "descobri"? Classifique-o. 

c) Reescreva a oração transformando o sujeito de "descobri" em sujeito indeterminado. 




Gabarito:

1. O cão e o osso 

2. Composto, pois o sujeito tem dois núcleos: cão / osso. 

3. O cão, que queria pegar o osso do cão refletido no espelho d'água, quando abriu a boca pra latir, deixou seu osso cair na água e acabou ficando sem nada. Sujeito simples. 

4. "Passando por uma ponte, olhou para baixo e viu sua própria imagem refletida na água." 
"Mal abriu a boca... e o osso caiu na água." 
"Pensando que sua imagem fosse outro cão com um osso na boca, começou a latir."

5. Duas orações. "Felipe, o mais baixinho da turma, ganhou o primeiro lugar nos jogos olímpicos da escola" "por isso fizeram uma festa para ele."

6. Sujeito simples: Felipe.

7. Não é possível identificar. 

8.
a) Por causa da beleza que é ostentada pelas cores de sua plumagem. 
b) Ele descobriu que não há pigmentos nas penas do pavão, que são as minúsculas bolhas d'água que refletem cor quando a luz incide sobre elas. 
c) O segredo é a simplicidade. 

9. 
"O pavão e um arco-íris de plumas." - sujeito simples 
"Mas [eu] andei lendo livros [...]" - sujeito oculto 
"Não há pigmentos." - Oração sem sujeito 

10.
a) 2 orações.
b) [eu]. Sujeito oculto.
c) Descobriram que aquelas cores todas não existem. 



Referência: Crescer em Sabedoria - Língua Portuguesa (Editora Mackenzie)
Imagem: Google
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...