Questões de português com descritores para 6ºano Interpretação sobre consumo de água


Leia os textos para responder às questões 1 a 5. 

Texto 1 

O BANHO DE NINA 

(De Ana Cristina Melo, com ilustrações de Cris Alhadeff. Editora Escrita Fina) 

Ao saber que a água do mundo poderia acabar, Nina ficou preocupada e começou a matutar soluções pra esse problema. Suspender a escovação de dentes? Pedir para o papai não lavar o carro? Deixar de usar a descarga? Conheça as ideias dessa menina disposta a impedir uma seca generalizada. 

Disponível em: <http://chc.cienciahoje.uol.com.br/e-dia-da-agua/>. Acesso em:6 fev. 2015. (Adaptado). 


Texto 2 

Plano para aula de produção de texto expositivo (enumeração) 9ºano


O que será escrito: um texto expositivo com enumerações
Quem vai ler: os colegas do 9ºano
Onde vai circular: na sala do 9ºano

PROPOSTA DE ESCRITA

1.Leia este texto. 

O futebol é o esporte mais popular do país, com adeptos do Oiapoque ao Chuí. Seja nova, seja velha ou seja feita de meia, a bola corre solta em nossas ruas e desperta paixão em milhares de jovens, que sonham ser jogadores ou jogadoras profissionais. [...] 
Quando pensamos nos jogadores de futebol, costumamos pensar nas nossas grandes estrelas: Neymar, Kaká, Marta, Ronaldo. Mas não é só delas que o futebol é feito. [...] 
Entre os desafios de jogar futebol profissionalmente, estão: o risco de lesões, a instabilidade financeira e o pouco tempo de carreira. [...]

Nana Soares. Disponível em: http://educarparacrescer.abril.com.br/ 

ENEM - Como ter ideias para escrever a redação? Como começar e como concluir?


Como ter ideias para escrever?

Primeiramente, leia a proposta da redação e circule o tema. Depois, leia os textos da coletânea e sublinhe as palavras mais importantes. Você poderá utilizar o conteúdo destes textos para elaborar a sua dissertação. Isso demonstra que você leu a prova, uma tarefa simples e que pode ser vista com bons olhos por um corretor.

Como começar uma redação?

Faça uma árvore de ideias. Ao terminar de ler a coletânea, escreva tópicos com todas as ideias (todas mesmo!) que surgirem à sua cabeças. Depois, você vai selecionar o que é relevante para a sua dissertação. Em seguida, pense o que você pode escrever sobre cada uma das ideias. Então escolha uma palavra que resuma estes pensamentos, que poderão ser os argumentos do seu texto final.

Interpretação de texto - “Como um filho querido” Marina Colasanti (9ºano)


Como um filho querido

Tendo agradado ao marido nas primeiras semanas de casados, nunca quis ela se separar da receita daquele bolo. Assim, durante 40 anos, a sobremesa louvada compôs sobre a mesa o almoço de domingo, e celebrou toda data em que o júbilo se fizesse necessário.
Por fim, achando ser chegada a hora, convocou ela o marido para o conciliábulo apartado no quarto. E tendo decidido ambos, comovidos, pelo ato solene, foi a esposa mais uma vez à cozinha assar a massa açucarada, confeitar a superfície.
Pronto o bolo, saíram juntos para levá-lo ao tabelião, a fim de que se lavrasse ato de adoção, tornando-se ele legalmente incorporado à família, com direito ao prestigioso sobrenome Silva, e nome Hermógenes, que havia sido do avô.

Fonte: COLASANTI, Marina. Contos de amor rasgados. Rio de Janeiro: Rocco, 1986. p.57.

Reportagem: ideia central do texto (interpretação)


Quais alimentos foram trazidos ao Brasil pelos japoneses?

Pensou em um festival de sushis e sashimis? Pense maior. No total, os japoneses trouxeram mais de 50 tipos de alimentos ao Brasil. Os primeiros provavelmente foram as variedades de caqui doce e a tangerina poncã, que chegaram nos anos 20. Mas foi a partir da década de 1930 que a maioria dos novos gêneros aportou por aqui.
O cenário era favorável aos agricultores japoneses: comprando ou arrendando lotes de terras das fazendas cafeeiras falidas após a crise da Bolsa de Nova York, os pequenos proprietários dedicaram-se a uma variedade de culturas que não eram populares no Brasil. Muitos imigrantes traziam mudas junto com suas bagagens nos navios.
Foi o caso do morango e até mesmo de um tipo de fruta insuspeita: a uva Itália, que apesar de ser italiana, como o nome entrega, pintou no Brasil por mãos japonesas, na década de 1940. A coisa era mais fácil quando vinha por meios oficiais, via acordos de cooperação entre os dois países. De tempos em tempos, o governo nipônico liberava sementes para cultivo no Brasil, como as da maçã Fuji, em 1971. Junto com as comidas “inéditas”, os japoneses trouxeram técnicas para ampliar a escala de produção de gêneros alimentícios já presentes no país, mas ainda restritos ao esquema de fundo de quintal, como o alface, o tomate, o chá preto, a batata e o emblemático exemplo da produção de frangos e ovos.
A avicultura brasileira apenas ensaiava um vôo de galinha até a década de 1930. A atividade só decolou de vez com a importação de aves-matrizes do Japão e com a experiência dos imigrantes japoneses nas granjas.

 Fonte: Revista Superinteressante. pág.59. Edição 246 – Dezembro. 2007

Questões de português com descritores para 9ºano


O SAPO

Era uma vez um lindo príncipe por quem todas as moças se apaixonavam. Por ele também se apaixonou a bruxa horrenda que o pediu em casamento. O príncipe nem ligou e a bruxa ficou muito brava. “Se não vai casar comigo não vai se casar com ninguém mais!” Olhou fundo nos olhos dele e disse: “Você vai virar um sapo!” Ao ouvir esta palavra o príncipe sentiu estremeção. Teve medo. Acreditou. E ele virou aquilo que a palavra feitiço tinha dito. Sapo. Virou um sapo. 

1. No trecho “O príncipe NEM LIGOU e a bruxa ficou muito brava.”, a expressão destacada significa que

(A) não deu atenção ao pedido de casamento.
(B) não entendeu o pedido de casamento.
(C) não respondeu à bruxa.
(D) não acreditou na bruxa.

Atividade de interpretação de conto: O cão de Lia Ensino Fundamental II

O cão de Lia 

No dia em que Lia leu a história daquele cachorro, ficou 
fascinada. Chegou para a mãe e disse: 
"Mãe, quero um cachorro igual ao do livro!" 
E a mãe, sensata como a maioria das mães, respondeu: 
"Minha filha, os cachorros reais não são iguais aos das histórias. Para começar, os da história ficam ali paradinhos, não se mexem, não latem, não fazem cocô no tapete, pipi no sofá. Os cachorros verdadeiros rasgam livros, acabam com as plantas do jardim, comem sapatos e, quando cismam, rosnam ou até mordem. Já pensou nisso?"
"Mas mãe, eu quero um cachorro como este aqui!"
"Minha filha, isso é ilusão. Cachorro de verdade dá trabalho!" 
"Mas eu quero ter trabalho." 
"Você não vai limpar a sujeira, dar banho, ensinar, vigiar, passear com coleira, vai?"

Regra para o uso da crase (Enem e vestibulares)


A crase e a superioridade feminina

Um autor escrevia sobre a superioridade de uma mulher em relação a um homem. Dizia:

— Comparado à maioria dos homens, pareço equipado para enfrentar a selva urbana; comparado à mulheres, estou quase nu.

O problema da frase é quanto ao uso da crase. Se o "a" estiver no singular e a palavra seguinte no plural, nunca teremos a junção dos dois "as". Haverá apenas a preposição, e não o artigo. Veja abaixo:

— comparado a mulheres (há somente a preposiçao "a", por isso fica no singular)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...